12 aspectos para avaliar em uma startup antes de investir

Não tem investidor que não queira surfar a onda de crescimento de uma startup. Mas para que isso aconteça, há alguns aspectos importantes a serem analisados na startup para que seu investimento tenha mais chances de dar certo. Separamos doze deles:

1. Equipe

Os unicórnios são chamados de unicórnios por um motivo. Então, em vez de tentar acertar em cheio qual startup será a próxima “criatura mítica”, dedique um tempo para conhecer a equipe para garantir que eles tenham as habilidades que atendem às necessidades atuais da empresa. Em uma startup, por exemplo, a equipe precisa ser capaz de arrecadar dinheiro, e em um estágio posterior, de crescer.

2. Histórico dos fundadores

Ao investir em uma startup, você está, na verdade, investindo nos fundadores. Por isso é importante conhecer o histórico deles e quais obstáculos eles superaram com sucesso no passado que provam que são capazes de encontrar caminhos para situações difíceis no futuro.

3. Mercado

Uma armadilha que as startups comumente caem é superestimar o tamanho do seu mercado. Alguns nichos e produtos são tão “obstinados” que fica muito difícil escalar o negócio de uma startup para uma grande empresa. Nunca é exagerada a preocupação de um mercado grande e crescente para uma startup.

4. Fluxo de caixa da startup

Os investidores devem ficar de olho em como a empresa está lidando com seu fluxo de caixa e se os números parecem realistas. Se o empreendedor não está cobrando seus clientes de forma correta ou está gastando muito ou pouco demais, talvez não seja um bom investimento.

5. “Energia” do negócio

Entre aspectos quantitativos e qualitativos, há também aqueles mais subjetivos, como “instinto”. O que o seu instinto diz sobre determinada startup? Que tipo de energia ela passa? Existe aquela excitação que alavancará o negócio? Como é a sinergia da equipe? Perguntas como essas podem ajudar a visualizar possíveis sinais de alerta.

6. Capital investido

É importante saber quanto de capital foi investido até o momento e por quem, e quais são os potenciais investidores em rodadas futuras. Certifique-se de procurar parceiros com um bom histórico e que estejam alinhados com sua tese de investimento, para que eles possam construir, junto com você, um caminho para liquidez e retorno do investimento.

7. Qualidades do líder

Tenha certeza que, além de inteligente e esperto, o empreendedor seja humilde. A falta de humildade levou ao desaparecimento de muitas grandes ideias e líderes.

8. Clientes

Esse aspecto depende do estágio da startup em que você está investindo. Se o produto já está rodando, procure conversar com alguns clientes. Durante essa conversa, procure receber feedbacks e se eles voltarão a usar o produto ou serviço (e entender os motivos caso respondam que não).

9. Elo fraco

Se você não consegue visualizar, pelo menos, um elo fraco, volte dois passos… O modelo da Theranos, por exemplo, parecia ótimo e muito atrativo no papel, desde que a tecnologia funcionasse… O que não foi o que aconteceu. Engenheiros e cientistas agora sabem dizer por que não funcionou, mas o risco sempre esteve lá. E se você não conseguir enxergá-lo, pode perder o investimento.

10. Dados da startup

A legitimidade de um negócio (ou a falta dela) geralmente está em seus dados. Procure saber exatamente sobre os processos da empresa e seus produtos ou serviços. Existe um histórico real? Os dados são lógicos e confiáveis? Existe um terceiro que possa garantir a credibilidade?

11. Equipe de gestão da startup

Antes de investir em uma startup, olhe para a sua equipe de gestão. Qual é o histórico deles? Procure resultados tangíveis e pergunte qual é o envolvimento da equipe neles. Invista em uma equipe que esteja envolvida e tenha demonstrado resultados. Pense nisso como contratar funcionários: essas são as pessoas que você quer que trabalhem para você?

12. Impulso do fundador e da liderança

Os fundadores são os que fazem uma startup funcionar. Afinal, as projeções são importantes, mas a liderança para fazer acontecer é ainda mais.

São muitos aspectos a serem analisados. E pode parecer complicado para quem é novo nesse mercado. Uma das opções é investir através de plataformas, como a Captable, que analisa todos esses pontos na hora de selecionar as startups para receber aporte, e que também ficam disponíveis nas páginas das ofertas, junto com documentos contábeis e jurídicos, para que o investidor também possa fazer sua própria análise.

Conheça a maior plataforma de investimento em startups do Brasil, a Captable.

Cadastre-se para saber em primeira mão sobre lançamentos de novas startups e conheça o Captable Marketplace – sua chance de negociar títulos de startups que já passaram pela plataforma.

Também, inscreva-se na 1248 para ficar por dentro do ecossistema de inovação.

Compartilhe: